Um panorama sobre os 45 anos da Celu


Há 45 anos, quando a Celu foi idealizada, muita coisa era diferente. A UFPR, PUCPR, e outras já existiam, todas, porém concorridíssimas. E, os estudantes que vinham do interior sofriam, pois, além de terem que trabalhar para manterem o estudo, afinal, não havia programas de incentivo estudantil na época, os mesmos viviam em condições precárias. Vendo essa realidade, como conta o P. Heinz Ehlert (2010), a comunidade evangélica resolveu criar a Casa do Estudante Luterano Universitário - CELU, com o intuito de garantir moradia, qualidade de vida e auxílio espiritual aos estudantes universitários. Assim que surgiu a primeira CELU, sendo também contruídas em Santa Catarina e Rio Grande do Sul posteriormente.

As outras duas Casas já não existem mais. O que se diz é que, em dado momento, as mesmas desvincularam-se da Igreja Luterana e passaram a funcionar sem vínculo com a Igreja, mas não resistiram. A nossa Celu, porém, resiste até hoje de forma similar desde que foi fundada. Na época, o projeto foi idealizado pelo P. Richard Wangen, um homem de origem norte americana que era o encarregado pela pastoral universitária da Igreja Evangélica de Confissão Luterana do Brasil. O P. Richard, juntamente com outros 85 estudantes idealizaram o projeto. E, o que alguns não sabem, é que não se tratava apenas de um projeto arquitetônico, mas de um projeto de de uma comunidade. Dessa forma, em 1968 foi feita a primeira versão do Estatuto e, entre os corajosos pioneiros, Burgard foi o primeiro Presidente, e Dittmers o Primeiro Vice-Presidente antes mesmo da construção da Casa. Com o aval da Igreja, conseguiu-se o financiamento da EZE - Evangelische Zentralstelle Für Entwicklungshilfe - para a execução da obra. O terreno, no centro da cidade e de frente para o Passeio Público, conforme exigência da instituição financiadora, foi doado pela família Kähler. A construção foi coordenada pelo professor e engenheiro Edy Giffhorn.

No dia 28 de fevereiro de 1970 a Casa foi inaugurada, o evento teve a presença de autoridades eclesiais, públicas e civis. Na estrutura estava previsto espaços para lavanderia, preparo do café da manhã e gabinete do pastor. A Celu, então, passou a ser o lar dos estudantes universitário que os abrigava e dava o apoio espiritual necessário e, desde cedo,embora coordenada por um pastor luterano, e aceitava estudantes de todas as crenças.

Celu em 1970

O sistema de auto-gestão visava a colaboração dos Moradores a fim de reduzir os custos e formar cidadãos preparados. Desde o inicio, o projeto previa um programa de atividades espirituais, culturais, sociais e esportivas, essas não voltadas somente aos Moradores, mas também a toda sociedade. Por isso, já no começo a Celu passou a ser um centro cultural na cidade de Curitiba, sendo frequentada por admirados artistas e intelectuais paranaenses. Aqui houveram Concursos de poesia e discotecas que animavam a Casa, sendo ela frequentada por grande parte dos jovens curitibanos. Devido a boa organização, a Celu foi e tem sido referência entre as Casas de estudantes do Brasil.

Aos poucos a Celu foi mudando em alguns aspectos, o P. Richard foi sucedido pelo P. Carlos e, posteriormente, a Celu recebeu outros Pastores. Hoje, infelizmente, não há pastor oficial na casa, por isso, apesar de muitos não saberem, devemos ser gratos ao P. Walter, pois el presta assistência voluntária à Celu. Outro detalhe, para quem não sabe, o imóvel ocupado pela Celu é de posse da Igreja, e no ano de 2007 foi renovado por mais 15 anos o termo que nos permite continuar ocupando esta Casa.

Durante esses 45 anos houveram alguns atritos e reconciliações entre a Celu e a Igreja. Em meados de 2003, de acordo com relatos de Ex-Moradores, houve uma tentativa por parte da Igreja de mudar o Estatuto com o intuito de alterar o modo como a Celu era administrada. Tentativa essa que acabou causando algumas reviravoltas. Recentemente, houve uma forte reaproximação entre a Celu e a igreja, que resultou na vontade de transformar a Celu a fim de revitalizá-la. A ideia era ceder determinados espaços para o uso da “Igrejinha” e buscar novamente por recursos externos. No entanto, o projeto não funcionou. Talvez por ter havido discordâncias entre a Celu e a Igreja ou internamente entre as autoridades da Igreja Luterana.

A Celu passou por momentos difícies nos últimos anos, alta inadimplência, descomprometimento e vandalismo. Mas, hoje a Celu colhe os frutos de muita luta e muito trabalho de pessoas que muito se doaram. Agora a economia está estável, a inadimplência controlada e a documentação começa a se resolver. Essa mudança vem dos Moradores que lutam mais unidos e acreditam em uma Celu melhor. Que a Celu seja um lugar cada vez melhor, para acolher muitos e muitos estudantes por muitos anos. Vida longa à Celu! Rumo aos 50!!

“Fazemos votos que a CELU continue dando o seu testemunho de que ela é um braço de Deus e seu acolhimento, expresso pela igreja também para seu povo na área acadêmica”

(Pastor Richard Wangen)

Fonte: REVISTA CELU, Uma pastoral Universitária e as origens da CELU, (2000) página 7./ REVISTA CELU, CELU em curitiba completou 40 anos, como surgiu (2010) páginas 4,5.

Miguel Afonso Beckers Desenho Industrial - Design Digital - PUCPR

#blog #celu #45anos #Estudantes #exmoradores

Destaque
Posts em breve
Fique ligado...

Casa do Estudante Luterano Universitário - Celu

Declarada de Utilidade Pública pela Lei Municipal nº 4.184 de 18/04/72

Endereço: Rua Presidente Carlos Cavalcanti 239, Centro - Curitiba - PR

CEP: 80020-280 - Fone: (41) 3324-3313 - C.G.C.: 75047811/0001 47

 

© 2021 Comunicação Celu

  • Facebook - White Circle
  • Google+ - White Circle
  • YouTube - White Circle
  • Instagram - White Circle